Waldiney Santana da Costa
(Nova Xavantina/MT)

WhatsApp Image 2021-11-10 at 17.33.35.jpeg

Sua obra "Fases – Poesia em Verso e Prosa" foi publicada por nós, este é o seu primeiro livro? Como se deu a ideia de publicá-lo? 

Desde os anos 2000 na época quando cursava faculdade de Letras pela UFMT tinha vontade de publicar um livro, mas por vários motivos, dentre outras questões de Editoras esse sonho só se realizou mais de 20 anos depois quando conheci a família Becalete.

Qual o objetivo da sua obra, a sua importância para o universo literário ou para o assunto que aborda?

Minha obra tem por objetivo, além de trazer o prazer do texto, trata de temas variados e são uma especie de condutor do leitor para o estímulo a leitura literária, especialmelme por se tratar de temas diversos , não atrai apenas um público alvo, mais uma diversidade de leiores.

Como é ser escritor hoje em dia?

Bem, eu já tenho experiência com alguns artigos científicos, monografias e dissertação de mestrado. Também já escrevi três livros de forma independentes, sem editoras e posso dizer que, ser escritor mais que status para mim é um dever. Pois passar o que sinto para o papel e permitir que outros adentre-se em meus escritos é maravilhoso, além de prestar um serviço social. Me sinto  como um agente propulsor e impulsionador da literatura.

Como sua experiência de vida lhe influencia na escrita? Quais são suas inspirações?

A escrita literatária é o sentimento da vida de um povo, já dizia o grande estudioso Sílvio Romero, assim não há como desvenciliar obra e autor, são sentimentos, medos prazeres que se fundem e se fazem a obra. Me sinto em cada verso, Sofro a cada lauda e me alegro com cada livro que ganha asa e vai para um lar para ser lido por alguém!

A família e os amigos lhe apoiaram nesta empreitada? Qual fator determinante do apoio ou não deles?

Uma obra não se faz sozinha, nem o Autor se faz sozinho. Assim, amigos família estão sempre juntos nessa empreitada árdua e gratificante. O apoio da Família na escrita é preponderante.

Como você enxerga a questão da leitura e do consumo de livros hoje no Brasil?

A cultura da leitura literária é pouco difundida no país, no entanto, nos  últimos  anos tem havido uma crescente quanto a leitura literária e se houver novas obras com temáticas com preços acessíveis poderemos quebrar esse paradigmade de se pensar que o brasileiro não lê ou lê pouco. Daí o papel de novos escritores de qualidade e de boas editoras que trabalhem nas perspectiva de bons preços e promovam o espaço para esses  autores realizarem seus sonhos.

Você pretende seguir publicando mais livros? E quais assuntos que gostaria de abordar futuramente?

A jornada da escrita deve continar.  Junto a Becalete estamos trabalhando em um Romance Historiográfico, também para projetos futuros temos uma obra só de poemas Românticos e uma trilogia infantil, "As Aventuras da Vovó Izaura"; muita literatura vem chegando por aí. Seguiremos firmes e fortes nessa jornada.

Como você espera que os leitores interpretem a sua obra?

O livro Fases foi criado com o objetivo do leitor se encontrar pelas fases do poeta, assim em algum momento o leitor se verá na obra. Assim, ele se identificará com um verso, uma estrofe, ou mesmo pelo grafismo da disposição das páginas em que o versar do poema de encontra.

Como foi a sua experiência em publicar na Editora Becalete?

Posso dizer que desde o início tive total apoio e pleno conhecimento de todas as etapas. foi uma casamento perfeito, tão bom que antes mesmo de o Fase ser me entregue já fechei contrato para meu segundo livro " Memórias de Izaura- Romance.

Deixe aqui um convite de leitura ao seu leitor, falando um pouco de você e sua obra se preferir.

O livro FASES de Poeta, apresenta poesias com grafismo e espaçamento que retratam as poesias cibernéticas.  Baseada no estudo de ciberpoemas o livro FASES brinca com o leitor em um jogo de palavra que remete a imagem. Assim, mesmo em uma época pandêmica, com medos reclusos, a obra FASES se apresenta para o leitor e tem como ideal a alimentação literária do leitor. E sem aspirações surgem para o devaneio do próprio leitor.