Renan Syllos
(Maringá/PR)

WhatsApp Image 2021-11-17 at 16..png

Sua obra VALE A PENA SER BOM? foi publicada por nós, este é o seu primeiro livro? Como se deu a ideia de publicá-lo? 

Sim, essa foi minha primeira obra. Sempre gostei muito de ler e, por consequência, de escrever. Durante uma viagem que fiz, comecei a contar - na internet mesmo - a história de algumas pessoas que conheci ao longo do caminho. Essas histórias tiveram uma repercussão muito boa e decidi transformá-las em um livro.

Qual o objetivo da sua obra, a sua importância para o universo literário ou para o assunto que aborda?

O objetivo da minha obra é contar a história dessas pessoas que conheci. Acredito que algumas histórias merecam ser contadas e eternizadas. Já temos muita coisa negativa por aí.

Como é ser escritor hoje em dia?

A experiência de ser escritor é fascinante. Como conto em meu livro, escrever para mim é um relaxamento, como um sofá para quem chega cansado de um dia de trabalho.

Como sua experiência de vida lhe influencia na escrita? Quais são suas inspirações?

Minha experiência de vida justamente se transformou na minha escrita. Fui muito inspirado pelo escritor Primo Levi que, numa obra com tema bem diferente da minha, busca coisas parecidas: que algumas pessoas e histórias não sejam esquecidas.

A família e os amigos lhe apoiaram nesta empreitada? Qual fator determinante do apoio ou não deles?

Aqueles que souberam apoiaram bastante. Confesso que para muitos está sendo uma surpresa, mas amigos e familiares bem próximos eu já havia contado. Eles sempre gostaram de leitura e me incentivaram a ler. O apoio foi natural.

Como você enxerga a questão da leitura e do consumo de livros hoje no Brasil?

O Brasil não é um mercado tão ruim para leitura quanto se pensa. Ainda temos muito a evoluir, com certeza. Acredito que poderia ter mais incentivo a leitura, especialmente voltado aos mais jovens.

Você pretende seguir publicando mais livros? E quais assuntos que gostaria de abordar futuramente?

Tenho outro rascunho com já umas oitenta páginas escritas - uma obra de ficção. Tenho interesse em terminar de escrevê-la. Mas, preciso conciliar a vida pessoal/profissional com as horas que preciso dedicar a escrita.

Como você espera que os leitores interpretem a sua obra?

EUma obra leve e prazerosa, como uma leitura de sábado a tarde. Espero que o leitor possa buscar na própria vida reflexos do que ele lê no livro. Não são histórias grandiosas ou feitos monumentais. São pequenos gestos, histórias simples, mas que fazem toda diferença.

Como foi a sua experiência em publicar na Editora Becalete?

A Editora Becalete foi muito paciente, compreensiva e profissional durante todo o trabalho. Só tenho a agradecer pela experiência que tem sido publicar com eles. Dar oportunidade aos escritores brasileiros, especialmente aqueles novos, é extremamente importante para a literatura no nosso país.

Deixe aqui um convite de leitura ao seu leitor, falando um pouco de você e sua obra se preferir.

Sempre fui uma pessoa boa - ou tentei ser. Citando Baden-Powell "Procurai deixar o mundo um pouco melhor de que o encontrastes". Contudo, muitas vezes senti que a face da injustiça as pessoas boas são, quase sempre, aquelas que mais são penalizadas. "Vale a pena ser bom?" me perguntei. Num mundo cercado de injustiças, pequenas histórias nos trarão a reflexão e, talvez, a reposta: Mas será que vale a pena ser bom?