Leodimeri Zilli Ribeiro (Curitiba/PR)

Entrevista em 23/01/2020

- Você recebeu da Editora Becalete o prêmio Troféu Personalidade Poética 2019, nos diga a importância deste reconhecimento para você.

 Foi uma agradável  surpresa como forma de ter meu trabalho reconhecido e uma emoção bonita. É um marco em minha vida. Ter recebido o prêmio de uma Editora, como a Becalete, que realiza seu trabalho com seriedade e compromisso, teve um sabor especial para mim.

 

- Qual o objetivo das suas obras e sua importância para o universo literário ou para o assunto que aborda?

 Escrevo como forma de eternizar pensamentos ou para com simplicidade brincar com as palavras.  O papel absorve os sentimentos, sejam estes de alegria ou de lamento.  Os assuntos que abordo tratam a respeito do cotidiano,  do amor, de amizade,  de felicidade ou  dor, da transcendência,  da alma, enfim, são sobre a vida, há algo mais importante?

 

- Como é ser poeta hoje em dia?

Penso que não deve ser muito diferente de antigamente. Quando lemos sobre grandes poetas do passado, podemos observar que a poesia sempre foi uma forma de expressar sentimentos e muitas vezes tanto os poetas como seus pensamentos eram incompreendidos. Nos tempos atuais, de uma sociedade de  relacionamentos líquidos e de valorização do lucro,  nem todas as pessoas possuem a sensibilidade necessária  para perceber a importância da poesia na história da humanidade, daí a resistência em insistir em escrever, por ver na poesia uma forma de sensibilizar, de fazer a diferença.

 

- Como sua experiência de vida lhe influência na escrita? Quais são suas inspirações?

Desde muito cedo a poesia se fez presente em minha vida. Na infância, minha mãe lia para mim, lembro-me dela recitando Casimiro de Abreu. Da adolescência, guardei um caderno, dentro dele, um recorte de jornal, um poema de amor de autor desconhecido. Daí veio Drummond, como presente, em um livro que ganhei da professora de português. Depois surgiu o amor, as vivências, as leituras

(Quintana, Leminski, Fernando Pessoa, Neruda...) E tudo virou poesia! A inspiração vem pela gratidão em viver o momento presente, além de lembranças, lugares, paisagens, momentos e até mesmo situações de indignação.

 

- A família e os amigos lhe apoiam nesta empreitada? Qual fator determinante do apoio ou não deles?

Apoiam sim, sem dúvida o incentivo da família e amigos é um fator importante para acreditar em meus sonhos e seguir em frente.

 

- Como você enxerga a questão da leitura e do consumo de livros hoje no Brasil?

O Brasil está longe de ser um país que lê, prova disso é o que temos presenciado, teria muitos exemplos. Só para citar um, poderia falar da defesa da crença na terra plana... Vejo que a leitura deve ser incentivada desde cedo e, infelizmente, falta essa consciência. Acredito que a aprendizagem se dá principalmente pelo exemplo e não é comum nossas crianças terem exemplos de leitores para seguir. Apesar disso, minha experiência como professora mostra que as crianças gostam de participar de rodas de leitura e de ouvir e ler boas histórias, quem sabe cultivando isso, tenhamos tempos melhores.

 

- Você pretende publicar um livro? E qual assunto pretende abordar?

Tenho alguns projetos em mente como o de publicar uma coletânea de poemas autorais e também um livro com alguns poemas infantis que escrevi, além de um livro com haicais. Assuntos como cotidiano, fantasia e natureza estão presentes em minha escrita.

 

- Como você espera que os leitores interpretem sua obra?

Com o coração.

 

- Como foi a sua experiência em publicar suas poesias com a Editora Becalete?

Foi de grande relevância, pois foi a partir do convite de Luciano Becalete para  o Talento Poético 2016, em Curitiba, que comecei a publicar. Ainda em 2016, participei do III concurso de Poesia RH Criativo, promovido pela Prefeitura Municipal de Curitiba, com o poema “Composição”, sendo contemplada com a publicação do mesmo e recebimento do troféu Alice Ruiz, entregue pela poetisa em evento de premiação no Memorial de Curitiba. Desde então, tenho participado de diversas antologias e eventos de poesia. Em 2019, participei novamente do Talento Poético, o que foi uma grande honra.

 

- Deixe aqui um convite de leitura ao seu leitor, falando um pouco de você e suas obras se preferir.

Além dos poemas publicados em antologias pela Editora Becalete, tenho alguns poemas  no site Recanto das Letras. A partir  da publicação do poema “A melhor coisa do mundo” neste site, fui convidada para publicar alguns de meus poemas pela editora Palavra é Arte, sob a organização do escritor e professor Gilberto Martins. O resultado foi o livro Méri Zilli e outros autores, lançado em  2019. Meu convite de leitura ao leitor não poderia deixar de contemplar um poeta conterrâneo, ao qual admiro com paixão: Paulo Leminski , uma das leituras dele que sugiro é o livro "Toda Poesia".

© 2020 por LB