José Raimundo Oliveira

de Souza Silva

(Santana/BA)

Foto%20com%20o%20livro_edited.jpg

Sua obra "Cartas Para Minha Filha Que Vai Nascer" foi publicada por nós, este é o seu primeiro livro? Como se deu a ideia de publicá-lo? 

Sim, é meu primeiro livro. Quando minha esposa estava grávida, li um livro chamado Para O Meu Filho Que Vai Chegar,  achei interessante e comecei a escrever para minha filha, daí vi que estava ficando bom e resolvi publicar minhas cartas em um livro.

Qual o objetivo da sua obra, a sua importância para o universo literário ou para o assunto que aborda?

O objetivo principal é trazer à tona a importância da convivência familiar através de atitudes simples. Abordo a rotina dos últimos 60 dias de gravidez de um casal que sonhava há muito tempo em ter uma criança e trago reflexões com passagens bíblicas e ensinamentos de santos católicos para que possamos viver uma vida melhor aqui na terra.

 

Como está sendo a experiência de ser escritor?

A experiência está sendo ótima. Nem eu acreditei que consegui escrever essas 60 cartas para minha filha. Mostra que quem acredita em um sonho, sempre alcança.

Como sua experiência de vida lhe influencia na escrita? Quais são suas inspirações?

Apesar de ter 35 anos de idade já vivi muita coisa, e isso me ajudou nas reflexões. Me inspiro no modo simples de viver a vida e na minha relação com Deus. Não vale a pena “se matar” de trabalhar para obter riquezas, o mais importante é viver bem, pois nossa vida é passageira e quando a gente passar para o próximo nível, não levaremos nada daqui.

A família e os amigos lhe apoiaram nesta empreitada? Qual fator determinante do apoio ou não deles?

Eles me apoiaram o tempo todo, é tanto que já querem que eu escreva outro livro. O fator confiança e respeito pela minha experiência de vida foi super importante para contar com o apoio deles.

Como você enxerga a questão da leitura e do consumo de livros hoje no Brasil?

Em relação à leitura, os brasileiros lêem bastante, pois passam muito tempo no celular, pena que o conteúdo lido não tem muita relevância para o crescimento intelectual. Já em relação ao consumo de livros impressos, infelizmente caiu muito devido à tecnologia, mas acredito que não vai entrar em desuso por muitos anos ainda.

Você pretende seguir publicando mais livros? E quais assuntos que gostaria de abordar futuramente?

Pretendo sim. Um assunto que gostaria muito de abordar é sobre educação financeira, pois vejo muitas famílias sofrendo por não terem aprendido a economizar quando jovens e na velhice vivem sofrendo para pagar os empréstimos contraídos para exames médicos e remédios.

O sistema público de ensino brasileiro é muito falho nessa questão.

Como você espera que os leitores interpretem a sua obra?

Espero que eles aprendam a serem felizes vivendo de forma simples e humilde, aprendam a respeitarem seus pais e pessoas mais velhas, aprendam a respeitar seu esposo/esposa e aprendam a olhar para o próximo com os olhos de Deus.

Como foi a sua experiência em publicar na Editora Becalete?

Foi uma experiência incrível. Desde o primeiro contato até a finalização da obra tive todo apoio da equipe, que foi me ensinando todo o passo a passo até chegar ao meu tão sonhado livro. Já até indiquei para dois amigos que também querem publicar suas obras.

Deixe aqui um convite de leitura ao seu leitor, falando um pouco de você e sua obra se preferir.

Nessa obra escrevi 60 cartas para a minha filha antes dela nascer, nas quais reflito sobre os últimos 60 dias de espera pelo nascimento de minha filha, Maria Clara.

Falo não somente sobre nosso dia a dia. Trato de assuntos atuais sobre a criação dos filhos e aconselho algumas coisas baseadas em ensinamentos de vários santos católicos e também trechos da bíblia, oportunos ao tema tratado em cada uma dessas cartas.

Pais, amem seus filhos.