José Florentino de Amorim Filho (Cosme) - (Caruaru/PE)

unnamed.jpg

Sua obra "O APOSTADOR" foi publicada por nós, este é o seu primeiro livro? Como se deu a ideia de publicá-lo? 

Sim, é o meu primeiro livro. Sempre tive esse sonho de publicar um livro, e essa ideia de publicar foi crescendo cada vez mais na medida que eu escrevia pequenos novos textos, aí fui percebendo que eu poderia sim escrever e publicar um livro.

Qual o objetivo da sua obra, a sua importância para o universo literário ou para o assunto que aborda?

Um dos objetivos é mostrar um pouco o que os jogos de azar causa na vida das pessoas que se viciam. O assunto principal são os jogos de azar, mas nas entrelinhas eu também abordo outros assuntos como: a importância do cinto de segurança, a verdadeira amizade, as drogas, a desmatação, a cultura popular, etc. então a importância é para uma melhor reflexão sobre o que se passa ao nosso redor.

Como está sendo a experiência de ser escritor?

Maravilhosa, apesar de um pouco de trabalho que dá, mas eu posso dizer que é prazeroso, essa experiência vai ficar marcada para o resto da minha vida, além de me proporcionar mais conhecimento através das minhas pesquisas e leituras adicionais.

 

Como sua experiência de vida lhe influenciou na escrita? Quais são suas inspirações?

Gosto de ler, e escrever para mim está se tornando um robe, e com a atividade profissional que estou exercendo no momento de mototaxista me traz um privilegio, pois, percorrendo toda cidade eu vejo diversas cenas (acontecimentos), e como eu gosto das artes cênicas fico imaginando e ampliando essas cenas, daí vem minhas inspirações. Além das músicas que gosto bastante, onde se passa um filme em minha cabeça quando eu as escuto. Minha inspiração vem também de um bom filme, vem quando estou em contato com a natureza, vem do silêncio, do Amor, da paixão, da vida...

 

A família e os amigos lhe apoiaram nesta empreitada? Qual fator determinante do apoio ou não deles?

Sim. Tenho o apoio da minha esposa, minha filha me ajuda quando estou precisando, alguns amigos mais próximos de certa forma me apoiam, me motivam. Isso faz com que eu sinta que não estou sozinho nesta empreitada e que posso contar com eles...

Como você enxerga a questão da leitura e do consumo de livros hoje no Brasil?

Fico triste com essa pergunta, pois uma boa parte da população, mesmo sabendo ler, parecem que são analfabetos em relação a leitura, pois muitos têm preguiça de ler, não gostam de ler... Mas eu não culpo eles, para mim, a culpa é a falta de políticas pública que venham motivar a população a criar um habito de ler, de se informar, de ter conhecimento através das artes, da cultura.

Tudo isso faz com que o consumo de livros se torne muito baixo, penso que menos de um por cento da população lê um livro. Fico triste com as bancas de revistas e livraria que foram fechadas em minha cidade.

Você pretende seguir publicando mais livros? E quais assuntos que gostaria de abordar futuramente?

Pensar eu penso, mas vai depender do resultado desse, pois há um investimento que o escritor faz.

Tenho vários assuntos para serem abordados, o DNA, a família, a história do povo de Deus (bíblico), o amor...

Como você espera que os leitores interpretem a sua obra?

Espero que os caros leitores façam uma boa interpretação a partir da nossa realidade...

Como foi a sua experiência em publicar na Editora Becalete?

Boa! Gostei da atenção que me deram e do carinho que trataram minha obra. Sou uma pessoa que acredita muito em Deus e percebo que teve o dedo de Deus me indicando (apontando) essa belíssima editora, que já estou apaixonado por ela.

Deixe aqui um convite de leitura ao seu leitor, falando um pouco de você e sua obra se preferir.

Bem, eu sou uma pessoa simples e sincera, não gosto de complicações. Se o leitor quer ter uma leitura simples, mas objetiva, uma leitura sincera e sem complicações, leiam O Apostador, nele vocês iram se divertir dando boas risadas e também irão se emocionar com seus personagens, além de encontrar algumas cenas picantes.