Eduardo Busanelli
(Jundiaí/SP)

Sua obra "Você não está sozinha" foi publicada por nós, este é o seu primeiro livro? Como se deu a ideia de publicá-lo? 

Esta é a minha primeira obra publicada. A ideia surgiu quando eu presenciei uma situação de exclusão social vivida pela minha filha, algo que me tocou profundamente e a partir dali eu iniciei (como uma inspiração) o tema da obra.

Qual o objetivo da sua obra, a sua importância para o universo literário ou para o assunto que aborda?

O objetivo da obra é tocar o coração das pessoas, sejam adultos que venham e ler para crianças ou crianças lendo diretamente, e que desperte o respeito e a empatia básicos no ser humano desde tenra idade. Creio que a importância da obra esteja no fato de uma vez tocado no coração, aprendido e experimentado na infância, a questão ética fundamental de não fazer para os outros aquilo que não gostaríamos que fizessem conosco, se torne um processo de aprendizado emocional potente e transformador.

 

Como é ser escritor hoje em dia?

É uma experiência extraordinária, desde o processo criativo, no qual entro em contato direto com as minhas emoções, crenças e direções filosóficas, quanto todo o processo até chegar no resultado final da publicação e a reação das pessoas que por ventura venham a adquirir a obra. Um profundo sentimento de realização pessoal e social me toma neste momento.

Como sua experiência de vida lhe influencia na escrita? Quais são suas inspirações?

A experiência de vida e profissional parecem constantemente permear o processo de criação, como se o tempo todo fossemos colocados à prova de qual mensagem queremos passar, como será aflorado na obra e isso automaticamente implica em sentir e se analisar grande parte do tempo. Exigiu autoconhecimento.

A família e os amigos lhe apoiaram nesta empreitada? Qual fator determinante do apoio ou não deles?

O apoio familiar e dos amigos sem dúvida possui importância fundamental na obra. Embora o processo de criação e escrita para mim seja solitário (no sentido construtivo do termo), ter o apoio dos que amamos e consideramos dá uma cara totalmente diferente, afinal, afeto e respeito é do que tratamos na obra.

Como você enxerga a questão da leitura e do consumo de livros hoje no Brasil?

A leitura no Brasil sempre foi um tema a se estimular, especialmente para as crianças e jovens. Entendo que necessitamos evoluir bastante para que a leitura possa de fato acessar mais pessoas em seus mais diversos mundos e realidades. Necessitamos estimular a sensibilidade, conhecimento e questionamentos fundamentais da alma humana e especificamente da realidade do Brasil, uma vez que a leitura é uma das maiores armas contra a ignorância.

Você pretende seguir publicando mais livros? E quais assuntos que gostaria de abordar futuramente?

Eu pretendo escrever mais livros. Já possuo alguns em andamento, sendo mais um infantil, outro sobre afloramentos existenciais e um romance.

Como você espera que os leitores interpretem a sua obra?

A interpretação da obra é com muita frequência feita de forma muito subjetiva, condizente com a realidade vivida de cada pessoa, o que a torna única, mas no geral, a expectativa é de gerar uma reflexão ética e comportamental nos adultos educando seus filhos e nas crianças, assim como nas crianças que venham a sofrer uma exclusão social, mostrar que há um caminho, uma luz no fim do túnel e de que realmente ela não estará sozinha, assim como poderá confiar em suas capacidades pessoais.

Como foi a sua experiência em publicar na Editora Becalete?

Desde o início do meu contato com a editora foi tudo muito humanizado, respeitoso e muito próximo das minhas questões e da obra a ser publicada. Eu me sinto valorizado como autor iniciante, tendo a editora sempre como orientadores pacientes e conhecedores do ramo atuante. Eu estou muito feliz com editora.

Deixe aqui um convite de leitura ao seu leitor, falando um pouco de você e sua obra se preferir.

Ao caro futuro leitor, eu desde já só tenha a agradecer por escolher do seu tempo para ler a minha obra. Eu espero que se você possui em seu círculo de pessoas queridas alguma criança que se sinta excluída ou exclui alguém, você possa indicar a obra para que gere um processo de reflexão, conhecimento e mudança no comportamento dessas crianças. Assim, podemos contribuir para que aspectos fundamentais como se colocar no lugar do outro, respeitar as diferenças e finalmente despertar a capacidade de mudança e de se superar sejam estimulados e educados desde tenra idade.

Adquira a obra do autor clicando aqui!