Belém do Pará/PA
(Belém/PA)

foto com livro.jpeg

Sua obra foi publicada por nós, este é o seu primeiro livro? Como se deu a ideia de publicá-lo? 

A Revolução dos Condenados foi o primeiro livro a ser trabalhado e produzido, porém não foi o primeiro livro a ser escrito. Pois anteriormente havia outra história, apresentando uma jornada mais longa e um pouco complexa. E apesar do conteúdo interessante, não seria ideal sua publicação para um autor iniciante. No momento em que eu  estava trabalhando na história, a vontade de sua publicação e de que as pessoas tivessem o contato com a obra sempre foi um desejo concreto. Então após sua finalização, a publicação se tornou a próxima etapa essencial.

Qual o objetivo da sua obra, a sua importância para o universo literário ou para o assunto que aborda?

Seu objetivo e trazer um novo universo com conceitos e ideias interessantes para a ficção. E a trajetória contada trabalha muito a ideia de mudança na sociedade e os esforços necessários para que a diferença seja adquirida, independentemente de sua classe social. Pois o objetivo maior a ser trabalhado na obra e a força de vontade de um ser humano em buscar melhorias em uma sociedade corrompida. Mesmo que certas escolhas questionáveis se tornem parte dessa jornada.

Como é ser escritor hoje em dia?

A experiência simplesmente é gratificante, pois ao mesmo tempo em que é vista como uma forma de produzir um entretenimento ao publico. É vista como um presente.  Pois a cada momento que estou com um papel e uma caneta, a sensação relaxante e o ânimo por estar criando uma jornada em que os leitores futuramente acompanharam, tornasse uma motivação maior ao seu realizador. Principalmente ao ver o resultado de como a obra tenha sido interpretada e impactado o público.

Como sua experiência de vida lhe influencia na escrita? Quais são suas inspirações?

Desde muito novo, o contato com filmes, series, jogos, desenhos e livros sempre foram consideradas as principais fontes de inspiração para criar algo não simplesmente semelhante, mas de motivar  aquela sensação de que poderia criar algo novo da mesma forma que outros autores fizeram em suas obras. Desde um simples quadro cuja apenas aquela imagem esteja transmitindo uma mensagem, um livro não seria diferente independentemente de seu conteúdo. Pois toda a obra tende a transmitir uma mensagem ao seu público

A família e os amigos lhe apoiaram nesta empreitada? Qual fator determinante do apoio ou não deles?

O apoio da família sempre foi algo concreto nessa decisão. No início, por mais que tenham ficado com dúvidas sobre o que realmente estava buscando com aquele trabalho. Perceberam a mudança de comportamento quando se estava escrevendo. Os amigos achavam que seria  interessante alguém que trabalhasse com algo assim, alguns apenas perguntavam quando a obra estaria pronta, e outros motivavam dizendo que deveria continuar.  

Como você enxerga a questão da leitura e do consumo de livros hoje no Brasil?

De acordo com minhas observações, o consumo de livros no Brasil está aumentando cada vez mais. Mesmo que seja de forma lenta. Contudo, é um progresso que está em movimento. Por mais que em certas ocasiões, a falta de consumo de livros no Brasil tende-se pela falta de dinheiro, questão de analfabetismo e por uma parte da população que não tem o costume da leitura. Porém, se conquistarmos os que não tem o hábito da leitura, garantiremos um futuro promissor nos anos seguintes.

Você pretende seguir publicando mais livros? E quais assuntos que gostaria de abordar futuramente?

Sim, A Revolução dos Condenados, é apenas o começo, já que de fato a ideia de novos livros e publicações estarem a caminho sejam desejos precisos. Esta primeira saga tende a trabalhar a motivação de mudanças no mundo. Já os livros seguintes tende a trabalhar outros tipos de questões ainda na categoria de ficção. Assuntos como sobrenatural, traições, religiões, sobrevivência e questões morais. Que por mais que estejam sendo trabalhadas em um universo fictício podem estar relacionadas com o mundo em que vivemos.

Como você espera que os leitores interpretem a sua obra?

Desejaria que o publico pudesse ver essa obra não apenas como uma simples história fictícia ou um passa tempo, mas também como uma lição de vida. Pois a trajetória da personagem principal, é semelhante com muitas figuras reais que viveram em nosso tempo. A dificuldade e  os altos e baixos e até mesmo algumas situações que a vida lhe impõe que podem desmotiva-lo a seguir em frente. Porém, a força de vontade e acreditar no seu potencial sejam o passo fundamental para o sucesso.

Como foi a sua experiência em publicar na Editora Becalete?

O trabalho com a editora foi grandioso e excelente, pois puderam possibilitar a um novo escritor a realização de um desejo de entregar ao mundo uma obra inédita e uma nova experiência. E desejaria que a editoria sempre possa estar assim com o escritor, trabalhando nos livros futuros lado a lado. Para que a literatura esteja ganhando cada vez mais espaço no mercado. O compromisso que a editora abraçou pode não ter sido fácil, visto que a obra já havia sido trabalhada em uma editora anterior, mas a gratidão por terém ajudado na conclusão do livro foi simplesmente um grande presente.

Deixe aqui um convite de leitura ao seu leitor, falando um pouco de você e sua obra se preferir.

Na infância, como qualquer outra criança sempre tive a imaginação fértil. E tudo o que assistia como filmes, desenhos e ate mesmo quando brincava com bonecos, sempre pensava que poderia criar algo como o que estava vendo. Uma história, um universo e personagens interessantes. Algo diferente e inédito, mas não sabia como realizar tal desejo. Até que um dia veio a mente que poderia criar isso a partir de um papel e uma caneta, e assim A Revolução dos Condenados nasceu. Uma história que aborda traições, assassinatos, determinação e recomeço.